Cinco razões para lutar contra a privatização da Petrobras

Spread the love

 Defendemos que os erros, desvios e corrupção sejam investigados, julgados e principalmente corrigidos. Todavia, sabemos que é muito melhor para o Brasil manter o controle do petróleo nas mãos do Estado, do que qualquer privatização.

Vivemos um momento de intenso ataque dos grandes capitais privados, nacional e internacional, e de seus aliados nas esferas política, judicial e midiática para atacar os trabalhadores e as riquezas da nação brasileira, em especial na área do Petróleo.

Defendemos que os erros, desvios e corrupção sejam investigados, julgados e principalmente corrigidos. Todavia, sabemos que é muito melhor para o Brasil manter o controle do petróleo nas mãos do Estado, do que qualquer privatização. Com a Petrobras sob controle estatal, os recursos provenientes da extração do pré-sal podem ser investidos na educação, saúde, empregos e direitos.

Por isso, listamos cinco razões para lutarmos contra a privatização da Petrobras:

1 – No Brasil há muito petróleo.

O último estudo, realizado por Cleveland Jones e Hernane Chaves, do Instituto Nacional de Óleo e Gás da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), aponta a existência de 176 bilhões de barris aproveitáveis no pré-sal. Pelo atual consumo do Brasil, teríamos petróleo para mais 150 anos. Isto representa aproximadamente 27 trilhões de reais e a Petrobras tem a melhor e mais eficiente tecnologia para a exploração desta riqueza.

2 – Retirar e industrializar o petróleo gera muito emprego.

Em 2013, a Petrobras movimentou mais de 400 bilhões de reais e gastou 263 bilhões de reais na compra de insumos. Com isso, movimentou uma grande cadeia produtiva como navios, sondas, helicópteros, alimentos, ferro e tantas outras mercadorias. A maioria delas foi produzida no Brasil, por empresas nacionais e com trabalhadores locais. Isto só é possível por que a Petrobras continua no domínio do Estado.

3- A produção de petróleo e seus derivados gera muito dinheiro que fica nos municípios, estados e nação.

No ano de 2013, a Petrobras repassou 106 bilhões de reais, arrecadados na forma de tributos, para as esferas federal, estaduais e municipais. O estado se São Paulo foi o estado que mais aumentou seu ganho, recebendo mais de 500 milhões de reais no ano apenas em royalties.

E com o pré-sal, criou-se um fundo social que, junto com os royalties, deverão ser aplicados principalmente na educação e saúde.

4. A Petrobras é uma das maiores e mais eficientes empresas do mundo.

A Petrobras é hoje uma das empresas mais eficientes do mundo e cresce, em média, 9% ao ano. Atua desde a retirada do petróleo até o posto de gasolina para distribuir o combustível, incluindo a operação de usinas térmicas que produzem energia elétrica.

Neste caso, quando a empresa tem dificuldade num setor, outra área serve como compensação, o que mantém o alto nível da estatal e possibilita investimentos em novas descobertas de petróleo e gás.

5 – Os trabalhadores do setor do petróleo são muito eficientes.

Atualmente, a Petrobras emprega cerca de 80 mil trabalhadores diretos e mais de 200 mil indiretos – terceirizados -, que atuam na cadeia do petróleo. São eles que produzem estas extraordinárias riquezas e milhares de produtos que são utilizados pela sociedade todos os dias.

Realizam um trabalho que garante a segurança nacional no abastecimento de combustível e são os herdeiros da luta de todo povo brasileiro que repetem desde a década de 50 que “o petróleo é nosso”.

Por estas razões precisamos lutar para garantir que o petróleo e a Petrobrás estejam nas mãos do estado brasileiro, com controle popular. Pela soberania nacional, precisamos evitar que esta riqueza se esvaia para os bolsos do capital privado.

Luiz Dalla Costa
Brasil de Fato

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*